Medicinal Farmácia de Manipulação

Benefícios e diferenças entre os Ômegas 3, 6 e 9

Ao longo dos últimos anos diversas pesquisas científicas vêm destacando a importância dos ácidos graxos ômega 3, 6, e 9 para a saúde. Essenciais para o bom desenvolvimento do organismo, os ácidos ômega 3 e ômega 6 não são produzidos pelo organismo e, por isso, precisam ser ingeridos através de alimentos que os contenham. Já o ômega 9 pode ser produzido pelo próprio corpo, porém, para que isso ocorra, é necessário que os ácidos ômega 3 e ômega 6 já estejam no organismo.

OMEGA 3

Com origem animal e vegetal, é encontrado em grande quantidade nos óleos de peixes marinhos que vivem principalmente em águas frias e profundas, como sardinha, salmão, atum, arenque, anchova, entre outros, assim como em algas marinhas, nos óleos e sementes de alguns vegetais como a linhaça, ovos enriquecidos, leite fortificado e oleaginosas.
Entre os diversos ácidos graxos que fazem parte de sua composição, os que trazem maiores benefícios à saúde são o EPA (ácido eicosapentaenóico) e o DHA (ácido docosahexaenóico) presentes principalmente nos óleos de peixes. De acordo com pesquisas recentes, o DHA e o EPA ajudam no controle da lipidemia e conter reações inflamatórias, atuando no tratamento de doenças cardiovasculares, artrite, psoríase, etc. Além disso, estudos recentes associam o uso do DHA com a diminuição dos sintomas de depressão, Mal de Alzheimer e distúrbios de comportamento, como a hiperatividade e déficit de atenção.

ÔMEGA 6 

Diversificado, é encontrado especialmente em alimentos que contenham ácido linoleico como azeites vegetais (girassol, milho, soja, etc.), conservas em azeite e no óleo de prímula, sendo esta considerada sua forma mais popular e um dos óleos naturais mais pesquisados e estando relacionado com a diminuição da em particular com relação a tensão pré-menstrual, doenças cardiovasculares, inflamação e problemas de pele, e a melhora de sintomas como coceira de pele, vermelhidão e secura, em geral associados com hemodiálise. 
Além disso pesquisas apontam que a suplementação com óleo de prímula ajudou as pessoas com síndrome pré-menstrual, diabetes, esclerodermia, eczema e outras condições de pele, que podem ter um bloqueio metabólico o qual interfere com a habilidade do organismo de produzir o GLA, um ácido graxo associado com a diminuição de inflamações crônicas e auxilio na diminuição dos níveis de colesterol e no tratamento e prevenção do diabetes, eczema atópico, hipertensão, alcoolismo e síndrome pré-menstrual..

ÔMEGA 9

O ômega 9, ou ácido oléico, é vital para a construção da membrana celular, inclusive da epiderme, protegendo e evitando a sua desidratação por perda de água transepidérmica, além de fazer parte do metabolismo, desempenhando um papel fundamental na síntese dos hormônios, ajudando a diminuir as medidas abdominais e o LDL (colesterol ruim) no sangue, bem como a aumentar o HDL (colesterol bom), ser altamente anti-inflamatório, ser rico em antioxidantes, ajudando na prevenção de doenças coronarianas, do câncer e do envelhecimento precoce
O ômega 9 está presente no azeite de oliva, azeitona, oleaginosas (castanhas, amêndoas e nozes), óleo de canola e abacate.