Medicinal Farmácia de Manipulação

Conhece a Ozônio terapia

Descoberto em meados do século XIX, ao longo dos últimos dois séculos descobriu-se e comprou-se que o Ozônio possui diversos efeitos terapêuticos com efeitos colaterais mínimos e evitáveis nos cuidados médicos. Conhecida como OZONIOTERAPIA a aplicação desse gás com finalidade terapêutica e para o bem-estar melhora a circulação periférica e da oxigenação.

Evidências emergentes revelaram que o ozônio também desempenha um papel importante no manejo e prevenção de várias doenças da pele, sendo que inúmeras referências científicas demonstraram sua efetividade contra bactérias, fungos e vírus, assim como comprovaram seu grau de biocompatibilidade no uso tópico no tratamento de lesões de origem infecciosa, como por exemplo, bochechos para pacientes com desordens periodontais, lesões herpéticas, auxiliando na cicatrização e manutenção da assepsia local. Entre suas principais indicações encontram-se o tratamento de:

  • Problemas circulatórios
  • Problemas intestinais
  • Doenças causadas por vírus como Herpes e etc.
  • Dores musculares e articulares
  • Terapia complementar para câncer
  • Tratamento complementar para doenças autoimunes e degenerativas
  • Melhora imunológica
  • Melhora do bem-estar
  • Aumento da vitalidade
  • Rejuvenescimento da pele

ÓLEO OZONIZADO PARA PELE

É um óleo (azeite de oliva, girassol, coco ou uva) de uso tópico enriquecido com ozônio e de aplicação direta na pele, sendo indicado para o tratamento de estrias, cicatrizes, varizes, queimaduras de primeiro e segundo grau, psoríase, seborreia, herpes labial, infecções cutâneas (na pele), erupções cutâneas (espinhas). Entre seus benefícios estão:

  • Ação antioxidante: diminui a formação de radicais livres que atacam as células (DNA, proteínas, lipídios e etc.) retardando o envelhecimento;
  • Melhora o carreamento de oxigênio, desagregando plaquetas em microvasos, permitindo melhor fluxo sanguíneo;
  • Modula o estresse oxidativo;
  • Antimicrobiano: destrói a membrana plasmática de microrganismos matando-os e impedindo a reprodução. Além disso, destrói a capsula proteica de vírus, inativando-os.
  • Cicatrizante: acelera o processo de cicatrização e reduz a possibilidade de defeitos na cicatrização.

Entretanto, apesar do ozônio ser um dos mais potentes antimicrobianos, quando aplicado sistemicamente NÃO inativa bactérias, vírus e fungos in vivo, devido ao alto nível de proteção desses patógenos dentro das células pelo potente sistema antioxidante. Desta forma, o ozônio não tem ação direta em doenças infecciosas como hepatites, AIDS, etc.